Wednesday, June 20, 2007

TOQUE DE LETRA











Pedro J. Bondaczuk

(Fotos: Arquivo e site oficial da A. A. Ponte Preta)

OUTRA VITÓRIA E LIDERANÇA

Com oscilações durante os dois tempos do jogo – ora pressionando o adversário e criando chances de gol, ora batendo cabeça no meio de campo e na defesa – a Ponte Preta venceu, ontem à noite, o bom time do Ituano, no Estádio Moisés Lucarelli, por 2 a 1, e assumiu a liderança provisória do Campeonato Brasileiro da Série B. Ser líder, a essa altura da competição, não quer dizer muita coisa, mas dá moral ao plantel e tranqüilidade para a comissão técnica trabalhar, com vistas à próxima partida. O time teve chances de liquidar a fatura após o segundo gol e a expulsão do lateral Erick, do time adversário. Não o fez. Optou por tocar a bola e garantir os três pontos, quando ainda faltavam 25 minutos para o fim do jogo. O castigo não tardou a vir. O Ituano fez o seu gol e passou a pressionar a Ponte, que se assustou e se encolheu. E não fosse uma defesa sensacional do goleiro Denis (sempre ele!), a vitória, que parecia tão fácil, teria escapado por entre os dedos. Felizmente, não escapou. Essas oscilações do time, aliás, são normais, enquanto não vier o desejável entrosamento, que só será obtido com a seqüência dos jogos. O importante é que a Ponte conquistou sua quarta vitória em sete jogos e passou tranqüilidade à torcida, que sente que a equipe tem tudo para evoluir ainda mais e se impor como séria candidata até ao título. Que assim seja!

DIONÍSIO, DE NOVO, SURPREENDE

O coringa da Ponte Preta, Dionísio, continua surpreendendo a comissão técnica e a torcida. Positivamente, é claro. O atleta fica um tempão fora do time, sem sequer ser relacionado no banco de reservas. De repente, numa emergência qualquer, acaba escalado, para surpresa geral. E, em ocasião alguma em que isso ocorreu, decepcionou. Já está mais do que na hora, portanto, da torcida lhe dar o devido valor. Afinal, contando suas duas passagens pelo clube, o atleta já está no Moisés Lucarelli há pelo menos dez anos, sem nunca reclamar da reserva e sem decepcionar quando entra. Não me esqueço de uma partida, no Estádio Serra Dourada, de Goiânia, quando a Ponte Preta precisava vencer o Goiás de qualquer jeito, para escapar do rebaixamento. Todos já davam a queda da Macaca como favas contadas. Dionísio, no entanto, fez um golaço, por cobertura, que deu moral ao time. A Ponte sustentou o resultado, venceu, na seqüência, o América, em Natal (com gol de Zinho) e manteve-se na elite do futebol por mais seis ou sete anos. O atleta, portanto, tem história no clube e muito crédito. E provou, ontem, que ainda é muito útil, sobretudo nas emergências. É o cara certo nas horas certas.

NOME DO JOGO

A exemplo do que havia ocorrido sábado, no ABC, na vitória pontepretana sobre o Santo André, o meia armador Heverton foi, ontem, de novo, o nome do jogo. Correu, lutou, marcou, defendeu, atacou e foi o autor dos dois gols, ambos de belíssima feitura, que garantiram mais três pontos à Ponte Preta. Ouso dizer que, se não tivesse sido substituído, exausto de tanto correr, o placar teria sido muito mais amplo e folgado. Heverton, portanto, fará muita falta no próximo jogo, na terça-feira da semana que vem, contra o Marília, nos domínios do adversário. Ontem, porém, o meia dividiu as honras de melhor jogador em campo com esse fenômeno, vindo das categorias de base, chamado Denis. Não fosse a defesa (quase impossível) que fez, no finzinho do jogo, e a Ponte estaria lamentando, a exemplo do que aconteceu com o Grêmio Barueri, a perda de mais dois preciosos pontos dentro de casa. Como todo grande time começa com um ótimo goleiro, a Macaca está no caminho certo, rumo à conquista do acesso para a elite do futebol brasileiro no ano que vem.

É PRECISO RESISTIR AO ASSÉDIO

O grande problema da Ponte Preta, há já alguns anos, é que sempre que monta um time competitivo, com potencial de grandes conquistas, este é desmontado no meio da competição, com a saída dos seus melhores jogadores, ou do técnico, ou do preparador físico, e assim por diante. Neste ano, não está sendo diferente. Mal o campeonato começou, e já estão de olho gordo em atletas e funcionários do clube. Evair, por exemplo, mostrou todo o seu profissionalismo, ao recusar convite do Palmeiras para ser o parceiro de Toninho Cecílio no Departamento de Futebol do alviverde. Seu gesto, como não poderia deixar de ser, agradou em cheio à torcida, especialmente àquela parcela que ainda se opunha à sua presença no Moisés Lucarelli. O Corinthians, por sua vez, mostrou interesse na contratação de Cristiano Nunes, que faz ótimo trabalho de coordenação entre a categoria de base e o time profissional da Macaca. Antes, o São Paulo havia manifestado interesse no volante Pingo. E Heverton sofre constante assédio de clubes do país e do exterior, interessados na exuberância do seu futebol. Esse é um problema que a diretoria terá que equacionar, com serenidade e inteligência, para que um excelente trabalho não acabe na lata de lixo.

MAIS DOIS ÓTIMOS REFORÇOS

A diretoria da Ponte Preta apresentou, hoje de manhã, no Estádio Moisés Lucarelli, mais dois excelentes reforços para a temporada: os atacantes Leo Mineiro e Alex Terra. Curiosamente, ambos têm características de jogo bastante parecidas. Ou seja, são velozes, caem pelas laterais do campo para abrir as defesas adversárias e chutam muito bem a gol. Os novos contratados vão disputar posição com Roger – que cumpriu, ontem, sua última partida de suspensão – e com Wanderley, que repetiu, contra o Ituano, a excelente atuação que havia tido contra o Santo André, mostrando que começa a deixar a condição de eterna promessa, para se constituir em grata realidade. Outro que terá que lutar muito para ter camisa nesse time é Anderson Luiz. Já Beto tem características diferentes dos jogadores citados. É mais aquele pivô fixo, apropriado para fazer a parede aos companheiros que venham de trás. Doravante, como se vê, Nelsinho Baptista contará com muitas opções para mexer no time, quando isso se fizer necessário. Pelo menos no papel, trata-se de um plantel muito interessante, versátil e o melhor, em termos técnicos, dos tantos que a Ponte Preta montou nos últimos anos. Espera-se que a prática confirme a teoria. Desta vez, a diretoria pontepretana trabalhou direitinho.

MISSÃO IMPOSSÍVEL

O time mais copeiro do país, o Grêmio Porto-alegrense, terá, hoje, diante do Boca Juniors da Argentina, missão que, à primeira vista, parece impossível. Ou seja, fazer um placar com três gols de diferença sobre o tinhoso e experiente time argentino, para levar o jogo para a prorrogação e conquistar, dessa forma, mais uma Copa Libertadores da América. A maioria dos cronistas esportivos, nacionais ou estrangeiros, dá a conquista do título como favas contadas em favor da equipe que mais vezes ganhou essa competição em toda a sua história. Ou seja, ao poderoso Boca Juniors. Não me incluo entre estes. E aqui não vai, sequer, a influência do coração, já que, como pontepretano, não morro de amores pelo Grêmio (e por nenhum outro clube que não seja a veterana campineira). Trata-se, pois, da opinião de um observador absolutamente neutro, pelo menos em relação a esse confronto. Não estou afirmando, também, que o Grêmio terá sucesso no seu desafio. Mas já vi coisas incríveis no futebol, inclusive desse mesmo time gaúcho, como foi o caso da sua heróica vitória no Estádio dos Aflitos, no Recife, em dezembro de 2005, oportunidade em que assegurou a sua volta à Série A do Brasileirão. Não há vencedores e nem perdedores de véspera. E não ficarei nada surpreso se o Grêmio sair, hoje, do Olímpico, com o título da Libertadores. Não mesmo!!!

RESPINGOS...

· Ao que tudo indica, o sonho da diretoria palmeirense, de trazer o atacante certo que o time tanto precisa, mais uma vez vai acabar em frustração. Quando parecia tudo acertado com Kleber, que defende o Necaxa, do México, entrou areia nas negociações. Por enquanto, a novela continua.
· O Corinthians apresentou, ontem, mais um jogador procedente do Bragantino, o quinto já contratado desse mesmo time. Trata-se do zagueiro Cadu, que regularizou sua situação e está à disposição de Paulo César Carpegiani. Quem está rindo à-toa é Marquinho Chedid, presidente do clube de Bragança Paulista.
· Tudo indica que Dunga já definiu o time titular da Seleção Brasileira para a Copa América, que começa no mês que vem, na Venezuela. É a nova geração nacional que ganha espaço, para tentar buscar o penta, em 2010, na África do Sul.
· Domingo teremos a oportunidade de ver um jogão na Vila Belmiro: o clássico Sansão, ou seja, Santos e São Paulo. Não que ambos estejam praticando um futebol maravilhoso, mas pela oportunidade que os dois terão para deixar para trás um princípio de crise, que ganhará corpo no perdedor.
· Por causa do Pan do Rio, um mundão de jogos do Campeonato Brasileiro foi adiado, complicando demais a competição. Quem elaborou a tabela deste ano merecia ser demitido. O cara não sabia que a Cidade Maravilhosa iria sediar esse evento? Claro que sim! Há quatro anos que todos nós já tínhamos conhecimento disso. Êta pessoal incompetente!

* E fim de papo por hoje. Entre em contato, para críticas e sugestões.


pedrojbk@hotmail.com

1 comment:

Rodrigo said...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Até mais.