Monday, March 12, 2007

TOQUE DE LETRA




Pedro J. Bondaczuk

(Fotos: Do site oficial da A. A. Ponte Preta e de Wander Roberto da VIPCOMM)

TERCEIRA VITÓRIA CONSECUTIVA

A Ponte Preta obteve, ontem, no Majestoso, a terceira vitória consecutiva no Campeonato Paulista da Série A-1, ao derrotar o bom time do América de São José do Rio Preto, por 3 a 2. Com os nove pontos conquistados em apenas uma semana, a Macaca deixou para trás os perigosos arredores da zona de rebaixamento e agora ousa sonhar com algo mais ambicioso, ou seja, com a colocação entre as quatro equipes que vão disputar o título estadual da temporada. Difícil? Sem dúvida! Afinal, esta é a mais qualificada competição regional do País, quiçá do mundo. Impossível? De jeito nenhum! É verdade que o time não teve o mesmo bom-comportamento das partidas anteriores. O ataque, porém, mesmo na ausência do matador Finazzi, fez a sua parte. Afinal, fez três gols. O setor vulnerável, mais uma vez, foi a peça defensiva. Até o bom goleiro Denis, que vem apresentado excelente performance desde que assumiu a camisa titular com a contusão de Aranha, falhou, ontem, no primeiro gol do América. O importante, porém, é que a Ponte manteve a invencibilidade em seus domínios no atual campeonato, tendo perdido em casa somente quatro pontos, nos empates com o São Bento e o Bragantino. Não fossem esses tropeços, e a alvinegra já estaria no seleto G-4.

MENINOS DO BRINCO REVERTEM SITUAÇÃO

O Guarani renasceu, no Campeonato Paulista da Série A-2, e agora até já pode sonhar com uma classificação entre os oito primeiros colocados da competição, que irão disputar as quatro vagas do acesso para a elite do futebol paulista. Os meninos do Brinco voltaram a encantar a direção técnica, a crônica esportiva e, sobretudo, a sofrida torcida bugrina, e deram um “passeio” no Botafogo de Ribeirão Preto, em pleno Estádio Santa Cruz, vencendo (e convencendo) o Pantera da Mogiana por 3 a 0. Basta, agora, vencer os dois jogos que tem em casa, contra o Comercial e Oswaldo Cruz, adversários teoricamente muito fracos, para que, aquilo que há 10 dias era apenas um sonho delirante, se transforme em grata realidade. Méritos para o veterano treinador José Luiz Carbone, que fez uma aposta de alto risco, nos garotos da categoria de base, e se deu bem. Os meninos agarraram a oportunidade que lhes foi dada com unhas e dentes e reverteram por completo uma situação que era desesperadora, principalmente depois da goleada que o Guarani sofreu diante do Rio Preto, por 5 a 0. Prêmio, pois, à ousadia de um técnico que, estranhamente, estava, há já um bom tempo, longe dos refletores da mídia, mas cuja competência não se pode jamais contestar.

PRÊMIO À EFICIÊNCIA

O meia João Marcos, desde que chegou ao Majestoso, procedente do Marília, vinha se constituindo no destaque deste novo time da Ponte Preta, que só agora começa a se entrosar e a jogar em sentido coletivo. Com um fôlego invejável, o atleta corre os 90 minutos, marcando, desarmando, passando bolas e servindo, sobretudo, o grande matador do time, Finazzi. Mesmo no período em que a equipe toda mostrava nítida falta de condicionamento físico, João Marcos destoava dos companheiros. Corria como se já estivesse jogando no time há mais de um ano. Há já umas oito ou nove partidas, o meia vem se constituindo na principal peça do time, no “pulmão” da Ponte Preta, mas faltava-lhe uma coisa que o angustiava: o gol, que ele perseguia com muito empenho. Na ansiedade de fazê-lo, inclusive, o jogador deixou, em algumas oportunidades, de passar a bola para companheiros melhor colocados, tentando o arremate e desperdiçando preciosas chances. Desde ontem, porém, o bom meio-campista não precisa mais se preocupar com isso. Fez, diante do América, um gol importantíssimo, fundamental para garantir não só a tranqüilidade pessoal, mas a sofrida vitória da Ponte, num momento em que a equipe estava acuada pelo adversário e jogava muito mal. Foi, portanto, um merecido prêmio à eficiência. E outros tantos gols virão, tenho certeza, nos próximos jogos. Afinal, João Marcos já mostrou, em campo, que é bom de bola.

CENTRO-AVANTE MODERNO E FEITO EM CASA

Entre os meninos do Brinco, que estão resgatando a história e a honra do Guarani, um dos que mais me chamaram a atenção é o centro-avante Tales. O leitor dirá, surpreso: “como, se sendo centro-avante, o garoto ainda não fez nenhum gol”?! Não fez por enquanto. Mas, certamente, ainda fará, e muitos. Tales é um atacante moderno, que não se limita a ficar plantado na área adversária, à espera de uma bola espirrada ou de uma falha dos zagueiros. Tem muita mobilidade, excelente toque de bola e é um dos responsáveis pelo ataque bugrino haver desencantado na competição, dando início à sua já memorável recuperação. Até aqui, o garoto vem servindo de “garçom”, fazendo passes preciosos aos companheiros melhor colocados. Graças à sua presença no comando do ataque do Guarani, o futebol de Lê cresceu a olhos vistos e quem sai ganhando, obviamente, é o time todo. Tales mostra, sobretudo, boa cabeça e não se deixou empolgar pelos elogios. O garoto, portanto, está no caminho certo e não vai tardar para que se transforme num ídolo da sofrida torcida do Guarani. E ele merece!

POLÊMICO, PORÉM GENIAL

A polêmica sempre foi a marca registrada de Romário, praticamente desde o início da sua brilhante carreira. Uma das mais conhecidas, refere-se à sua não-convocação para as eliminatórias da Copa do Mundo de 1994 (disputada nos Estados Unidos). O marrento baixinho só foi chamado a integrar a equipe, e com a missão de ser o “salvador da pátria”, no jogo decisivo contra o Uruguai, disputado no Maracanã. Romário foi convocado às pressas, chamou para si a responsabilidade, e todos sabem o que aconteceu. Arrebentou a defesa uruguaia e garantiu a presença brasileira – seriamente ameaçada na ocasião – no Mundial que, a exemplo de Garrincha em 1962, foi o grande destaque e o principal responsável pela conquista do tetra. A polêmica atual refere-se aos mil gols que o Baixinho tanto persegue, antes de encerrar sua brilhante carreira. Não importa se ele chegou, ou não, a essa marca, contabilizando as vezes que visitou as redes adversárias em amistosos ou em partidas de juvenis, como maliciosamente se propala. O que chama a atenção é a sua determinação de alcançar essa marca. E ela está perto, muito próxima de ser alcançada. Faltam, somente, cinco gols para que Romário chegue aos mil. E, em vez de ser ridicularizado por parcela expressiva da crônica, como vem ocorrendo, deveria ser, na verdade, louvado como um dos cinco maiores jogadores do mundo de todos os tempos. É fogo alguém conseguir reconhecimento público no Brasil! Êta corja de invejosos!!!

AVANT-PREMIÈRE DA FINAL

São Paulo e Santos fizeram, ontem, na Vila Belmiro, um jogo que tem tudo para ser uma amostra antecipada da grande final do Campeonato Paulista de 2007. É certo que, no sistema mata-mata, adotado para este ano, tudo pode acontecer. É possível o favorito, que liderou toda a competição, ser vencido por algum time que tenha se classificado na “bacia das almas” e deixar o título escapar por entre os dedos. Entendo que essa forma de decisão – para muitos, mais emocionante – sumamente injusta. Pune a eficiência. O clássico de ontem foi trepidante. Em campo estavam os dois times que são, disparados, os melhores da atualidade, em termos técnicos, do futebol brasileiro. O primeiro tempo foi todo do tricolor do Morumbi, que perdeu inúmeras oportunidades. No segundo, as coisas se inverteram e o Santos mostrou maior eficiência em todas as suas peças, notadamente no ataque. Nessas circunstâncias, o resultado, de 1 a 1, fez plena justiça ao que as duas equipes mostraram em campo. Foi um jogão, digno de uma final. E, a menos que ocorra algum fortuito acidente de percurso, o título paulista da temporada será de um desses dois times. Qual dos dois? É impossível de se prognosticar!

RESPINGOS...

· O goleiro Marcos, do Palmeiras, está, mesmo, numa interminável maré de azar. Ontem, fraturou o braço, numa jogada boba com um avante do Juventus. Resta torcer por sua pronta recuperação. É um grande cara, admirado por todos por sua simplicidade e sinceridade.
· O Paulista de Jundiaí é, na atualidade, um dos melhores times do Estado ou, pelo menos, um dos mais competitivos. Ontem, foi a Bauru e derrotou o badalado Noroeste, por 2 a 1.
· O Corinthians, embora jogando mal, redimiu-se, ontem, dos maus resultados anteriores e venceu o bom Bragantino, em Bragança Paulista, por 2 a 1.
· O meia chileno Valdívia, conhecido em seu país como “El Mago”, deu a volta por cima no futebol brasileiro. Logo que chegou ao Parque Antártica, foi ridicularizado por parte da imprensa. Ontem, porém, só faltou fazer chover, na goleada do Palmeiras, sobre o Juventus, por 4 a 1.
· Outro time que precisa ser observado com bastante atenção, na Série B do próximo Campeonato Brasileiro, é o Vitória. Ontem, o rubro-negro baiano sapecou um 4 a 2 no seu maior rival, o Bahia, em plena Fonte Nova, diante de um público excepcional, de mais de 50 mil torcedores.

* E fim de papo por hoje. Entre em contato, para críticas e sugestões.


pedrojbk@hotmail.com

1 comment:

suqin2677 said...

Hello! You have a very nice blog! I'm here to share valuable info with you visit my blog,about Mozilla Firefox web browser.