Monday, March 05, 2007

TOQUE DE LETRA




Pedro J. Bondaczuk

(Fotos: Do site oficial da A. A. Ponte Preta)

ENFIM, UMA VITÓRIA CONVINCENTE

Até que enfim a Ponte Preta venceu e convenceu. É verdade que a vitória ocorreu em casa e frente a um adversário que, neste Campeonato Paulista, é um saco de pancadas de todo o mundo. Tanto que não ganhou absolutamente de ninguém. Mas a Macaca venceu, e é o que importa! E ganhou jogando bem, pela primeira vez na competição, o que mostra uma inegável evolução técnica do time, e num momento em que isso é não só necessário, mas indispensável. O Santo André até que opôs uma certa resistência e chegou a ameaçar, em várias ocasiões, a meta defendida por Denis. A defesa da Ponte ainda não inspira total confiança e tem um defeito gravíssimo: faz muitas faltas nos arredores da grande área. Além disso, tem imensas dificuldades nas jogadas aéreas, tanto que tomou o gol em uma bola parada. Mas o meio de campo, com a entrada de Heverton e, posteriormente, de Castor, e com a excelente atuação de João Marcos, se redimiu. Pelas oportunidades criadas, portanto, o 3 a 1 até que ficou barato para o time do ABC. Outro que entrou bem no jogo foi o recém-contratado Roger, que fez excelente reestréia diante da sua torcida. Nem parecia que havia feito um único treino, antes de ir para o jogo. Agora, a Ponte precisa mostrar regularidade e acumular pontos, para aspirar algo mais do que a mera fuga do rebaixamento. Já está mais do que em tempo de dar essa alegria à torcida.

GAROTADA RESOLVE

O Guarani, depois do vexame do meio de semana, quando foi goleado e bailado pelo apenas razoável time do Rio Preto, para o qual perdeu por 5 a 0, se redimiu, ontem, em Mirassol, e trouxe um bom empate, por 0 a 0, para Campinas, embora, em termos de classificação, o resultado não tenha sido tão bom. A performance bugrina de ontem foi totalmente diferente da que teve no jogo anterior. Nem parecia a mesma equipe. E, de fato, não era. O técnico Carbone ousou e foi para o tudo ou nada. Mudou, radicalmente, o time, com oito modificações em relação à partida de Rio Preto. Fez, aliás, o que Waguinho Dias havia sido aconselhado a fazer (o óbvio) e não teve coragem: recorreu aos meninos dos juniores. E estes não decepcionaram. Pelo contrário, entraram com personalidade e maturidade e mostraram uma garra que os veteranos não vinham mostrando. Era o que estava faltando ao Guarani. Xandão, Dimas e Tales deram mais consistência à equipe e tudo indica que ganharam as vagas, logo na estréia, no time titular do time. Apesar da evolução técnica do Guarani, contudo, o clube entrou na perigosa e sempre indigesta zona de rebaixamento, e num momento crítico da competição. Doravante, o objetivo do Bugre tem que ser um único e específico: fugir da queda para a A-3. O que vier, além disso, (se vier) será lucro.

DEFESA FOI O CALCANHAR DE AQUILES

Como não fiz nenhum comentário sobre a precoce eliminação da Ponte Preta na Copa do Brasil – competição que a Macaca não disputava há cinco anos – tenho algumas observações a fazer. A primeira: o time foi surpreendido ao tomar dois gols em momentos estratégicos da partida, ou seja, no finzinho do primeiro tempo e no início do segundo. Isso desmontou todo o esquema tático montado pelo técnico Nelsinho Batista e obrigou a Macaca a sair para o tudo ou nada. A Ponte até que mostrou poder de reação, chegando à igualdade do marcador. Como tinha que marcar mais três gols, porém. desguarneceu o setor defensivo. Era lógico e lícito de se esperar que agisse assim. Afinal, o resultado de empate não lhe interessava. E tomou, no finzinho do jogo, o terceiro gol do bom time do Vila Nova de Nova Lima, segundo colocado do Campeonato Mineiro. O segundo aspecto a considerar foi o ainda deficiente preparo físico da Ponte. É certo que a pré-temporada foi curtíssima e não serviu, praticamente, para nada. Mas não se esperava uma queda de rendimento tão brusca, num momento crucial do jogo. E, finalmente, a terceira observação que faço se refere ao espírito de luta que o time mostrou, não reconhecido, aliás, pela crônica esportiva da cidade, que deitou e rolou e teceu críticas e mais críticas à equipe, sem reconhecer nela nenhum mérito. Isso já está se tornando, até, chato, de tão repetitivo. Que tal construir um pouco e maneirar nas observações ferinas?!

É HORA DE BUSCAR SOLUÇÕES

O desespero bateu de forma violenta, pelos lados do Brinco de Ouro, após a vexatória goleada que o Guarani sofreu no meio da semana, por 5 a 0, do apenas razoável time do Rio Preto, que ontem foi derrotado pelo Mogi Mirim. Parcela expressiva da torcida chegou, inclusive, a sugerir à diretoria que pedisse uma licença de cinco anos à Federação Paulista e ficasse um tempo sem disputar qualquer competição oficial, para reorganizar o clube. Claro que o caminho do Bugre não é por aí. O que se tem que fazer, agora, é concentrar todas as forças para se livrar do rebaixamento. E o técnico Carbone é competente e experiente para isso. Mostrou, ontem, que conhece do riscado. Mexeu no time e este disputou excelente partida diante do Mirassol. O resultado é que não ajudou. Foi, convenhamos, sumamente injusto, um verdadeiro castigo para o Bugre, que deveria ter voltado para Campinas com, no mínimo, 1 a 0 a seu favor. E teve tudo para que isso acontecesse, não fosse a falha do volante Macaé, que perdeu um pênalti, que não poderia perder. Mas é preciso que torcida, diretoria, comissão técnica e plantel tirem da cabeça essa bobagem de classificação (o que, se acontecesse, seria um milagre nas atuais circunstâncias) e se concentrem no único objetivo factível: escapar de mais um rebaixamento. Cumprida essa meta – aliás, agora bastante complicada – será possível pensar no futuro com maior clareza.

PONTE SE REFORÇA PARA A SEQÜÊNCIA DA TEMPORADA

Gostei das contratações da Ponte Preta para a seqüência da presente temporada. Trouxe Roger, por exemplo, que não vingou nem no São Paulo e nem no Palmeiras, mas está identificado com o clube que o revelou para o futebol e será muito útil à equipe na seqüência do Campeonato Paulista e do Brasileiro da Série B. É experiente e, ao mesmo tempo, jovem. Sua utilidade já ficou demonstrada ontem, na partida contra o Santo André, na qual foi um dos destaques. Já Rafael Fusca, do Taquaritinga, é uma aposta de risco da comissão técnica. Trata-se de um garoto que tem tudo para se projetar, caso não se acanhe e vista, de fato, a camisa pontepretana. O goleiro Vitor, do Vitória, é bastante jovem, a exemplo de Dênis, o atual titular, e vem de uma escola exemplar em termos de categorias de base, que é a do rubro-negro baiano. Finalmente, Gabriel tem situação semelhante à de Roger. Teve oportunidades no Palmeiras e no Fluminense e até que foi bem nesses times, onde só não permaneceu por causa das constantes crises que esses dois tradicionais clubes têm enfrentado nos últimos tempos e cujos reflexos negativos recaem, invariavelmente, sobre jogadores mais jovens, que ainda não se firmaram no cenário nacional. A Ponte, portanto, estará muito bem-servida com esses quatro bons reforços que trouxe.

PALMEIRAS MASSACRA RIVAL

O Palmeiras passeou, ontem, no Morumbi, no clássico contra o Corinthians, que venceu com propriedade, por 3 a 0. E poderia ter sido muito mais, pelo volume de jogo palmeirense e pela passividade do time de Emerson Leão. Os grandes destaques do Verdão, sem dúvida, foram o chileno Valdívia e o veterano Edmundo, que fez dois gols de bela feitura. O que se viu foi um Corinthians nervoso, apático, sem criatividade e sem nenhum padrão de jogo. Taticamente, o time não existiu. E, para complicar tudo, o alvinegro do Parque São Jorge perdeu uma de suas principais estrelas, o atacante Nilmar, que se contundiu gravemente e talvez não jogue mais neste Campeonato Paulista. O técnico Emerson Leão, por seu turno, criou um ambiente horrível no clube e se indispôs, com suas declarações agressivas e mal-educadas, com toda a imprensa paulistana. Demorou para que isso acontecesse! O treinador, convenhamos, não atravessa, no momento, sua fase mais brilhante na, até aqui, vitoriosa carreira. Muito pelo contrário. Sua saída do clube é mera questão de tempo.

RESPINGOS...

· O Bragantino mostrou que, se não é um time tecnicamente brilhante, é bastante competitivo. Derrotou, ontem, o bom Noroeste, por 2 a 1.
· O São Caetano recuperou-se das duas derrotas seguidas que sofreu no Campeonato e goleou o bom Ituano por 4 a 1. Não ficarei nada surpreso se o Azulão conquistar seu segundo título paulista nesta temporada.
· O Santos, de Wanderley Luxemburgo, sem muito alarde, segue conquistando pontos sobre pontos e conservou, ontem, a liderança do Paulistão. Venceu o bom time do Paulista de Jundiaí por 2 a 1. E Zé Roberto está jogando uma enormidade!
· O pequenino Madureira surpreendeu o Flamengo, em pleno Maracanã, e venceu, ontem, a primeira partida das finais da Taça Guanabara, por 1 a 0. Basta não tremer no segundo jogo que conquista o título.
· Fiquem de olho nesta dupla do Cruzeiro, Marcinho e Araújo, no próximo Campeonato Brasileiro. Ontem, ambos garantiram a vitória da equipe estrelada, no clássico diante do América, no Mineirão, por 2 a 1, com um gol de cada um.

* E fim de papo por hoje. Entre em contato, para críticas e sugestões.


pedrojbk@hotmail.com

1 comment:

liyipp said...

hello Please try the following updated web browser,Very handy,Immediately free download!