Friday, February 09, 2007

TOQUE DE LETRA




Pedro J. Bondaczuk

(Fotos: Do site oficial da A. A. Ponte Preta e arquivo)

VITÓRIA CONVINCENTE E REABILITADORA

A Ponte Preta, ontem, jogando em Americana, venceu o Rio Branco por 2 a 0 e, o mais importante, convenceu. Não que tenha jogado uma partida brilhante, longe disso. Mas fez mais do que o suficiente para garantir uma boa vitória, a primeira fora de casa neste Campeonato Paulista, e tranqüilizar a comissão técnica e a torcida. A defesa teve um comportamento irrepreensível e houve nítida evolução no meio de campo, com destaque para a excelente atuação de João Marcos, em especial quando caiu pelo setor direito. Falar de Finazzi é até desnecessário. O matador fez, com competência, o seu papel, que é o de marcar gols. Precisa de mais? Claro que não! Porquanto, sem gols (obviamente) não há vitórias. Sem fazer muita força, apenas cumprindo o seu papel, Finazzi já se tornou, naturalmente e com toda a justiça, o grande ídolo do atual grupo da Ponte Preta. Outro destaque foi a atuação do garoto Wanderley, no qual, pessoalmente, deposito minhas melhores expectativas. O garoto jogou muito, principalmente no segundo tempo. O gol que marcou, logo aos três minutos da etapa final, lhe fez muito bem. Deu-lhe confiança. O jovem atacante se soltou e quase fez mais um, obrigando o bom goleiro do Rio Branco a fazer excelente defesa. Em apenas três jogos, Nelsinho Baptista conquistou duas vitórias, uma a menos que seu antecessor, Wanderley Paiva, em cerca de vinte. Posso estar equivocado (tomara que não), mas sinto que a Macaca está no caminho correto e que, na pior das hipóteses, deverá disputar o título de campeã do interior. Tomara...

GUARANI NA ZONA DE CLASSIFICAÇÃO

O Guarani, na quarta-feira, confirmou sua evolução técnica e derrotou, sem dificuldades e de forma convincente, o Nacional, no Brinco de Ouro, por 2 a 0. Conseqüência? Entrou, nessa rodada, na seleta zona de classificação para a fase decisiva do Campeonato Paulista da Série A-2. É verdade que ainda é muito cedo para fazer projeções otimistas. Ademais, o Bugre tem um jogo a mais do que seus concorrentes diretos a uma das oito vagas. Mas sua ascensão meteórica às primeiras colocações dá confiança, credibilidade e moral ao grupo. Ainda mais quando se sabe que a maioria das equipes está nivelada, no aspecto técnico, e que não há nenhum bicho-papão, que seja imbatível ou quase, entre os 20 concorrentes. O técnico Waguinho Dias realiza um grande trabalho, não apenas dentro das quatro linhas, orientando tecnicamente a equipe, mas, principalmente, fora de campo, nos treinamentos e nas palestras motivacionais que faz aos atletas. O Guarani, aos poucos, vai ganhando corpo, entrosamento e confiança e já queimou a língua dos críticos (inclusive a minha) que achavam que esse time atual não iria a lugar algum. Por isso, manda a prudência, não se deve nunca avaliar qualquer grupo em início de temporada. Corre-se o risco de, sem mais e nem menos, cair em ridículo.

PROMESSA PONTEPRETANA GANHA CHANCE

Gostei da atitude do Nelsinho Baptista que, no jogo de ontem, em Americana, deu a primeira chance no time de cima ao garoto Ezequiel. É verdade que o menino entrou apenas aos 37 minutos do segundo tempo, quando a vitória já estava assegurada. Mas é assim que se dá confiança aos craques das categorias de base do clube: aos poucos, sem precipitações, mas sem medo de queimar. Posso estar enganado, mas pelo que já vi, está aí o futuro meia armador titular da Ponte Preta, que ainda vai dar muitas alegrias à torcida, podem estar certos. Se bobear, e se continuar contando com a confiança do treinador, Ezequiel vai conquistar, provavelmente, seu espaço já no próximo Campeonato Brasileiro da Série B. O que precisa, até para ganhar moral, é de apoio tanto dos companheiros (em especial os mais experientes), quanto, e principalmente da torcida. Desde o início do Paulistão eu vinha pedindo esse ato de ousadia do técnico. Wanderley Paiva não teve coragem de tomar essa iniciativa. Nelsinho Baptista, porém, ousou e pode estar fazendo história, como o revelador de mais um craque para a Macaca. Força, garoto. Agarre a chance com unhas e dentes. É seu futuro que está em jogo!

BUGRE PODERIA SER LÍDER DISPARADO

É verdade que o “se”, no futebol, como em tudo na vida, não conta. O que vale é aquilo que acontece, não o que poderia acontecer. Todavia, o Guarani perdeu preciosíssima chance de liderar, com folga, o Campeonato Paulista da Série A-2. Por contingências da tabela, foi premiado, depois da estréia, com três jogos consecutivos em seus domínios e contra times considerados fracos, nenhum deles incluído entre os favoritos ao acesso. Pelo contrário, são equipes que vão ter que lutar muito para escapar do rebaixamento. E o que aconteceu? Na estréia, no Brinco de Ouro, o Guarani foi surpreendido pelo limitado Oeste de Itápolis, para quem perdeu, por 1 a 0. Quando todos esperavam a recuperação, no jogo seguinte, o time empatou com o Taquaritinga, que naquela semana havia trocado de treinador. E, finalmente, no terceiro jogo, não passou de decepcionante 0 a 0 com o frágil Bandeirante de Birigui. Disputou, portanto, nove pontos, dos quais ganhou só dois. Aliás, na verdade perdeu sete. Houvesse vencido estes três compromissos, estaria hoje com 16 pontos, na liderança absoluta da competição e virtualmente classificado para a fase final. É esse tipo de vacilo que um time que tem grandes aspirações não pode ter.

OLHO NO PRÓXIMO ADVERSÁRIO

A Ponte Preta tem que ficar de olho vivo no seu adversário deste domingo, um dos caçulas (e na minha avaliação, o melhor deles) do atual Campeonato Paulista da Série A-1. Assisti, no domingo passado, o jogo do Guaratinguetá contra o Corinthians e fiquei impressionado com a qualidade técnica do clube do Vale do Paraíba. É verdade que perdeu o jogo, por 3 a 2, por ter ido “com muita sede ao pote”. Atacou, do começo ao fim da partida, seu poderoso adversário, proporcionando-lhe, por conseqüência, o contra-ataque. E pagou caro pela ousadia. Perdeu o jogo. Mas é um time bem-organizado, com um meio de campo criativo e atacantes velozes. A defesa do Guaratinguetá é que deixa um pouco a desejar. Se Finazzi estiver inspirado, poderá fazer a festa e consolidar-se na artilharia do Paulistão. Mas toda cautela será pouca. Como a Ponte, certamente, será atacada, terá ao seu dispor, como o Corinthians teve, a arma do contra-ataque. Mas para que esta funcione, não pode errar passes. Acredito em mais uma vitória da Macaca, mas convém que ela fique de olho nas virtudes do adversário e, sobretudo, que as neutralize.

PRIMEIRA DERROTA DA ERA DUNGA

No primeiro amistoso deste ano, disputado em Londres, diante do selecionado de Portugal, a Seleção Brasileira, sob o comando de Dunga, sofreu, na terça-feira, sua primeira derrota desde que o substituto de Carlos Alberto Parreira assumiu. Não foi um jogo brilhante, do ponto de vista técnico. Os comandados de Felipão aproveitaram duas chances, proporcionadas por erros da nossa zaga, para definir o placar: 2 a 0. A atuação brasileira pode ser dividida em duas fases distintas. No primeiro tempo, a Seleção perdeu uma infinidade de gols, por precipitação dos atacantes e pelo seu natural desentrosamento. No segundo, porém, a peça ofensiva brasileira não existiu. Os atacantes não chutaram uma única bola contra o gol de Portugal, fato raro, senão inédito, em se tratando de Seleção Brasileira. Bastou, contudo, a derrota – e, enfatize-se, a primeira – para que os corneteiros de plantão (que não faltam, convenhamos) tentassem depreciar o trabalho do Dunga. Bobagem! Encaro o resultado como absolutamente normal e não vejo motivos para fazerem marola contra o novo treinador, que já mostrou que é competente.

RESPINGOS...

· Os pequenos cismaram de aprontar para cima dos chamados grandes do futebol paulista. A mais recente vítima foi o Palmeiras, derrotado, quarta-feira, em Itu, pelo Ituano, por 1 a 0.
· O meia Roger, do Corinthians, desencantou, ontem, na goleada corintiana sobre o Rio Claro, no Pacaembu, por 5 a 0. Marcou quatro gols e fechou a boca dos críticos.
· Quem vem se constituindo no terror das defesas, ao lado de Finazzi e de Somália, é o veterano Sorato. Foi dele o gol do Ituano, na vitória contra o Palmeiras, por 1 a 0. Este é como o vinho: quanto mais velho, melhor.
· O São Caetano (quem diria!), sob o comando de Dorival Junior, voltou a ser aquele time competitivo de sempre. Já divide a liderança do Paulistão com o Santos e tem o artilheiro (ao lado de Finazzi) da competição, o Somália. Olho nele!
· O clássico de domingo, entre São Paulo e Corinthians, promete! Para apimentar o jogo, há um tabu a ser quebrado. Ou seja, há onze jogos o alvinegro de Parque São Jorge não conhece o sabor de uma só vitória sobre o tricolor do Morumbi.

* E fim de papo por hoje. Entre em contato, para críticas e sugestões.


pedrojbk@hotmail.com

1 comment:

yekai886 said...

Hello! Mozilla Firefox web browser has updated,Please visit my blog,Free download Quickly